25 de jul de 2011

Noticias

Duas lojas falsas da Apple na China tem ordem para encerrar.

As autoridades chinesas ordenaram o encerramento de duas lojas falsas da Apple descobertas na cidade de Kunming, no sudeste da China. As investigações foram abertas depois de uma habitante local ter levantado dúvidas, no seu blogue, sobre se as lojas tinham, ou não, carimbo oficial da multinacional. Segundo diz, os próprios funcionários acreditavam estar a trabalhar para a marca norte-americana.


À primeira vista, os estabelecimentos tinham a mesma aparência das lojas oficiais, mas alguns pormenores na construção e na apresentação do espaço chamaram a atenção de uma cidadã norte-americana (não identificada) a residir em Kunming.

Ao todo, a autora do blogue BirdAbroad suspeitou de três lojas e outras duas viriam também a ser consideradas falsas pelas autoridades. Duas das cinco lojas foram já receberam para fechar por falta de licença comercial, numa investigação que averiguou ao todo 300 lojas de produtos electrónicos na cidade.

Sobre a primeira loja que visitou, a autora escreveu no seu blogue: “Parecia uma loja da Apple. Tinha a clássica escadaria sinuosa das lojas Apple. Os empregados até usavam as mesmas t-shirts azuis”.

“Mas algumas coisas não estavam certas: as escadas estavam mal construídas e as paredes estavam mal pintadas”, relata a denunciante, que encetou conversa com os funcionários, que, segundo diz, “pensavam genuinamente que trabalhavam para a Apple”. Também a apresentação do logótipo da marca causou estranheza à cidadã de 27 anos: “A Apple nunca escreve ‘Apple Store’ nos seus sinais – apresenta apenas a brilhante e icónica maçã”.

A situação passou de inusitada a caso de polícia quando as autoridades decidiram seguir as pistas da cibernauta. Para além de confirmarem as suspeitas, descobriram mais duas lojas contrafeitas na mesma localidade.

Yu Cheng, o proprietário de três das lojas identificadas em Kunming, defendeu, através do seu advogado, que não está a violar nenhuma lei chinesa, apesar de não ter a permissão da multinacional sediada em Cupertino, no estado da Califórnia. Na verdade, Yu Cheng sente que “está a fazer um favor à Apple”, disse o advogado do comerciante, citado pela agência financeira Bloomberg.

A Apple tem apenas duas lojas oficiais na China, localizadas em Xangai e Beijing, e também nenhuma das três lojas primeiramente identificadas em Kunming faz parte da lista oficial de revendedores dos produtos Apple, factos que comprovaram as suspeitas imediatas da cibernauta, cujo blogue foi visitado por mais de um milhão de pessoas em apenas três dias. Resta ainda apurar se as lojas vendiam produtos originais ou falsos.



<p>A loja de Beijing é uma das duas lojas oficiais da Apple em solo chinês</p>

Nenhum comentário: